Pernambucanas


"CASAS PERNAMBUCANAS estado da arte em logística"

Centro de Distribuição Casas PernambucanasMelhorar e modernizar os processos de estocagem e distribuição passou a ser uma das principais metas das CASAS PERNAMBUCANAS. Para tornar-se ainda mais competitiva era preciso reduzir custos, otimizar o nível de estoques e garantir a reposição adequada de produtos nas 250 lojas da empresa. A primeira etapa do projeto, segundo José Roberto Borges, gerente de logística das CASAS PERNAMBUCANAS, foi aperfeiçoar o sistema corporativo da empresa, para criar uma política de abastecimento diário sob demanda prevista, e adequar o MIX de produtos para cada loja. Essa estratégia tornou necessária a reestruturação de todo o fluxo logístico de movimentação de produtos.

 

" A gestão de informatização dos estoques, tem como foco principal aperfeiçoar o serviço ao cliente, desde um bom atendimento até um preço mais baixo"

A empresa elaborou um plano de trabalho que durou um ano e meio até sua implantação. Foram realizados uma série de estudos para escolher um grupo de empresas que participariam da transformação dos cinco depósitos anteriormente existentes, em apenas um Centro de Distribuição, com 30.000mts. A GIC foi escolhida para implantar o sistema de gerenciamento do depósito, com rastreabilidade total via código de barras e sistema de rádio freqüência, processando on line e real time as operações de recebimentos, estocagem, e expedição de mercadorias. A organização física do depósito foi definida pela consultoria Boucinhas & Campos, e as esteiras de movimentação foram adquiridas da Rapstan System. A SEAL Eletrônica forneceu scanners especiais para as esteiras, impressoras de etiquetas de código de barras e coletores de dados de rádio freqüência. O uso de coletores de dados por todos os funcionários, eliminou o uso de papéis, garantiu maior confiabilidade e rapidez na realização de todas as operações. A implantação do sistema, segundo Borges, "permitiu a empresa visualizar e controlar totalmente todas as atividades dentro do Centro de Distribuição. Hoje, podemos analisar a performance dos funcionários, formular estatísticas e saber exatamente o estoque existente para abastecer as lojas".

" Tranformamos cinco depósitos em um grande Centro de Distribuição"

ArmazenagemTodos os funcionários, endereços de armazenagem, postos de trabalho, docas e produtos, são identificados com código de barras. Com o sistema de gerenciamento da GIC, as mercadorias chegam, recebem uma etiqueta com código de barras e a seguir é feita uma conferência entre as quantidades recebidas e os dados das notas fiscais. Esse processo garante a contabilização exata das mercadorias que entram no depósito e as eventuais divergências são tratadas com os fornecedores. O sistema gerencia todos os endereços livres e ocupados, conduzindo cada tipo de produto para a área de armazenagem adequada. As CASAS PERNAMBUCANAS trabalha com mais de 7.000 itens entre artigos de tecido, vestuário, eletrodomésticos entre outros, e com diferentes processos para armazenagem e separação.

" A implantação do software WIS™ permitiu total controle das atividade do Centro de Distribuição"

SeparaçãoNo processo de separação o sistema consolida os pedidos, otimizando a movimentação de produtos e sua integração com as esteiras, garantindo mais rapidez na expedição de caixas e redução de erros. As esteiras possuem scanners que lêem a etiqueta de cada caixa e destina-a para o seu local correto de despacho. Segundo Borges, o ganho de produtidade na distribuição foi de 20% e poderá chegar a 30%, com as seguintes melhorias previstas: Aumentar o nível de paletização, já que somente 5% das cargas vem paletizadas; Expansão das esteiras, tanto para o recebimento quanto para a expedição; A implementação do EDI, para o recebimento eletrônico de notas fiscais dos fornecedores e os avisos de embarque e recebimento de mercadorias; Padronização de código de barras para o padrão internacional EAN UCC/128; Aumento do giro do estoque com compras mais frequentes em quantidades menores; Implantar um roteirizador para otimizar a entrega das mercadorias nas lojas.

" Treinando os trabalhadores para novas funções a Casas Pernambucanas proporciona-lhes a possibilidade de adquirirem novas competências"

SeparaçãoA centralização dos estoques resultou na elaboração de novo layout do depósito, com estruturas de armazenagem para cada tipo de produto, esteiras, e a informatização de todos os processos. A movimentação de mercadorias foi otimizada após a criação de cinqüenta modelos de embalagens, que passaram a ser utilizadas pelos fornecedores, principalmente da área têxtil. Esta padronização permitiu a movimentação de caixas pelas esteiras, facilitou a paletização no depósito e o manuseio de produtos nas lojas. Com caixas menores, previamente identificadas, ficou mais ágil a reposição das mercadorias nas prateleiras. Além disso após a padronização das embalagens, houve uma redução de 90% nas avarias. Avelino Almeida Costa, Gerente de Controle de Qualidade - chama a atenção para a efetiva redução dos erros de separação de produtos por loja que antes era feita manualmente. Cita que o sistema WIS ™ proporcionou um acerto de 100% no processo, aumentando em muito a produtividade e a qualidade do serviço. O Gerente de Armazéns e Transportes, Luiz Hamilton de Souza, aponta que os problemas de distribuição reduziram-se a zero. "Agora carregamos os caminhões e depois emitimos as notas fiscais", explica. Anteriormente a implantação do sistema da GIC, a nota fiscal era emitida antes do processo de separação de mercadorias, o que ocasionava excesso de carga, uma grande perda de tempo e congestionamento na área de operação. Luiz Hamilton analisa ainda que o sistema implantado pela GIC já aumentou a produtividade em 60% e este índice poderá ser melhorado com o recente recebimento noturno de cargas. Em meio as mudanças, as CASAS PERNAMBUCANAS desenvolve também um programa de Recursos Humano, para adequar sua mão de obra aos procesos informatizados. Além disso, foi criado um guia do usuário, para consultas sobre o manuseio dos novos equipamentos e procedimentos de trabalho. "A informatização dos estoques, tem como foco principal aperfeiçoar o serviço ao cliente, desde o bom atendimento, até preços mais competitivos", comenta Borges. O trabalho realizado pela CASAS PERNAMBUCANAS, reflete um "case" nacional de uma empresa moderna, integrada às novas exigências do mercado. É, efetivamente, um Estado da Arte da Logística.

Jornalista Responsável:
Silvia Marino - MTB 18556

NÓS FAZEMOS ACONTECER!

 

Inicio